COMÉRCIO EXTERIOR CEARENSE (1989-2016): RESTRIÇÕES E POTENCIALIDADES

Francisco Laercio Pereira BRAGA, Maria Cristina Pereira de Melo, Jair do Amaral Filho

Resumo


Este trabalho propõe identificar as restrições e potencialidades e do comércio exterior cearenses entre o período de 1989 e 2016. O comércio exterior cearense foi analisado por meio de indicadores como, grau de abertura da economia, coeficiente de importação, Market-share, taxa de cobertura relativa das importações, coeficientes de especialização relativa e índices de concentração e de comércio intrasetorial. Os resultados mostraram que o comércio exterior cearense, ao longo de quase trinta anos, deteve baixa participação nas vendas e compras nacionais, contudo, apresentou mudanças expressivas a partir da década de 1990. Novos produtos entraram na pauta e   novos mercados foram conquistados. Alguns fatores foram responsáveis pelo desempenho externo estadual no período considerado. Destacam-se a política de atração de investimentos do Governo do Estado, a entrada em operação do porto do Pecém e a implantação da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) na Zona de Processamento de Exportação do Pecém (ZPE). As restrições a serem transpostas referem-se, dentre outras, à concentração da pauta exportadora em produtos de baixo valor agregado e à concentração espacial dos principais municípios exportadores.


Palavras-chave


Competitividade Internacional. Estado do Ceará. Comércio Externo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia