FUGA DE CÉREBROS: O CEARÁ GANHA OU PERDE MIGRANTES QUALIFICADOS?

Luanna Pereira de Morais, Silvana Nunes de Queiroz

Resumo


O objetivo desse é analisar a migração interestadual qualificada “do e para” o Ceará, procurando saber se o estado ganha ou perde migrantes qualificados, dado que até o presente momento esse tema não foi explorado para essa Unidade da Federação (UF). A principal fonte de dados são os microdados das amostras dos Censos Demográficos de 1991, 2000 e 2010, levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados da mensuração da migração interestadual qualificada “do e para” o Ceará, revelam que no primeiro quinquênio em estudo (1986/1991),o Ceará perde migrantes qualificados (pessoas com nível superior completo). Por outro lado, em 1995/2000, o Ceará apresenta saldo migratório positivo, contudo, o fluxo mais recente (2005/2010) revela saldo negativo, entretanto, o volume de perdas/fuga de cérebros é menor em relação ao interregno de 1986/1991. A pesquisa também permitiu constatar que os imigrantes qualificados que chegam ao Ceará foram procedentes notadamente do Rio de Janeiro (1986/1991), São Paulo (1995/2000) e Bahia (2005/2010). Em contrapartida, as perdas cearenses foram principalmente para São Paulo (1986/1991) e o Distrito Federal (1995/2000 e 2005/2010). A conclusão é que o Ceará tipifica como um estado de perda de migrantes qualificados para as demais UFs do país.


Palavras-chave


Fuga de cérebros; Migrantes qualificados; Capital humano; Ceará

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia