Atributos individuais e distorções no mercado de trabalho regional brasileiro

Ronaldo de Albuquerque e Arraes, Zilah Maria de Oliveira Barros Ribeiro

Resumo


Este estudo visa determinar as variáveis que se revelam importantes na composição da educação e dos rendimentos dos trabalhadores das regiões Nordeste, Sudeste, Sul, Centro-Oeste e nos Estados do Ceará e de São Paulo. Um modelo econométrico visando à determinação simultânea entre renda e educação permite identificar quais as variáveis mais relevantes na explicação dos diferenciais de renda e do nível educacional dos brasileiros, seus efeitos, suas relações de causa e conseqüência. A desigualdade de renda e dotação educacional no Brasil se mostra significante entre regiões, Estados e cidades, raças e gêneros. Características de raça e gênero são bastante relevantes para ditar diferenciais de renda e nível educacional dos indivíduos, sendo favoráveis aos homens e à raça branca. Há um acirramento no mercado de trabalho brasileiro a partir dessas características, que se agrava com maiores níveis de renda e educação. As disparidades regionais são realçadas, quando se comparam Ceará e São Paulo, ou o Nordeste e o Sudeste, de tal maneira que seriam recomendáveis políticas sociais que providenciassem uma forte base na formação e melhoramentos dos recursos humanos, em que a educação formal seria um deles, de sorte a evitar a perpetuação da desigualdade entre regiões.

Palavras-chave


Mercado de trabalho regional;Educação; Renda; Gênero; Raça.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia