Desigualdade de rendimentos entre os empregados da agricultura brasileira de 1992 a 2009: O efeito do salário mínimo

Régis Borges de Oliveira, Rodolfo Hoffmann

Resumo


Com base nas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE), dos anos de 1992 a 2009, o artigo analisa a evolução da desigualdade de rendimentos entre os empregados na agricultura brasileira classificando-os como permanentes ou temporários e com ou sem carteira de trabalho assinada. Foi dedicada atenção especial ao papel do salário mínimo real sobre a determinação dos rendimentos dos empregados agrícolas. Os resultados mostram que, no caso específico da agricultura, o efeito do salário mínimo, enquanto mecanismo de proteção dos trabalhadores localizados nos estratos inferiores da distribuição, é nítido apenas no segmento mais estruturado do mercado de trabalho (permanentes e com carteira).


Palavras-chave


Desigualdade de rendimentos; Empregados; Salários; Agricultura; Salário mínimo.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia