Convergência em renda implica convergência em desigualdade e pobreza? um estudo para Minas Gerais

Márcio Antônio' Salvato, Jonathan de Souza Matias

Resumo


Constata que a partir de Solow, os modelos propõem analisar os fatores que determinam o crescimento da renda per capita de uma economia, bem como a proposição de convergência ou a formação de clubes de convergência entre as regiões e países. Pressupõe que as medidas de desigualdade e pobreza dependem da distribuição de renda e que um processo de convergência é caracterizado por uma mudança específica da distribuição. A partir daí, questiona se esta mudança é suficiente para gerar convergência em desigualdade e em pobreza. Assim, o artigo analisa empiricamente se convergência em renda implica convergência em desigualdade e pobreza, usando o método de Cadeias de Markov para o caso discreto, a partir das informações municipais dos censos de 1991 e 2000 para o Estado de Minas Gerais. O índice de desigualdade não apresenta sensibilidade à convergência, embora não se rejeite a hipótese de formação de clubes de convergência em renda per capita e em pobreza para municípios e mesorregiões. A evidência empírica aponta que a ocorrência de convergência de renda per capita entre municípios não é suficiente para uma melhoria na distribuição de desigualdade de renda interna entre os mesmos.

Palavras-chave


Convergência. Desigualdade. Pobreza. Cadeias de Markov.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia