Desigualdade de renda e sua decomposição no Nordeste Brasileiro

Jair Andrade de Araujo, Gabriel Alves de Sampaio Morais

Resumo


Neste artigo apresenta-se a evolução da desigualdade de renda no Nordeste brasileiro pelo rendimento domiciliar per capita relativo ao período 2004 a 2011. Constitui-se o objetivo maior averiguar quais foram as parcelas da renda total que contribuíram na redução da desigualdade. Com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), decompõe-se o índice de concentração de renda em cinco componentes: rendimento do trabalho, aposentadoria e pensões públicas; aposentadorias e pensões privadas; alugueis, abono, doações e outros rendimentos. Mostra-se que a desigualdade de renda na Região Nordeste do Brasil que era de 0,577, em 2004, passou a ser de 0,537, em 2011. Conclui-se que a participação da parcela proveniente do trabalho tem a maior participação na renda total, seguida pela parcela de renda de aposentadoria e pensões oficiais cuja média, naquele período, foi de aproximadamente 21%. As parcelas que mais influenciaram na redução da desigualdade de renda foram a renda do trabalho, aposentadorias e pensões oficiais e outros rendimentos. A parcela outros rendimentos é responsável por 28,05% da redução da desigualdade no Nordeste no período analisado.


Palavras-chave


Desigualdade; Renda; Decomposição.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia